Sua igreja fala pra quem?

Comunicação com marketing pode ser mais eficaz para a evangelização

 

Vivemos um contexto social em que a influência dos meios de comunicação nos interpela e assumem posições que, além de formar opinião, explora um universo em virtude de atingir pessoas e organização. A comunicação atinge maciçamente nosso convívio social, em que a tendência é cada vez mais atingir nossas instituições, de forma que entenda o processo de mudança e transformação de ideias e ações. Tudo é comunicação e está em comunicação.

É imprescindível perceber que a eficácia dos meios de comunicação atinge nossa realidade, de forma universal, e as instituições religiosas estão inseridas nesse processo midiático, em que a Igreja Católica está cada vez mais inserida e busca se unir aos meios de comunicação em sua missão evangelizadora. Evangelizar é, na sua essência, comunicar.

Sobre este tema, ressalto que dentro do segmento católico, o qual hoje a Promocat estende suas ações, percebo que a presença dos conceitos do marketing possui uma ação fundamental nas ações de mídia e comunicação. Este recurso tende a nos perguntar o quanto o marketing pode ajudar na execução e propagação do evangelho. Há muitas ações de comunicação mas poucas – ou nenhuma, de marketing estratégico. Desse modo, o que na verdade pontuamos é saber que devemos desenhar uma unicidade, ainda que seja igual às demais que até certo ponto conhecemos, para que os processos de comunicação sejam mais organizados. Registramos uma identidade religiosa que por meio de diversas ações em comunicação, transformam a comunidade. E os conceitos de marketing aplicados com os métodos que a Igreja exige podem potencializa muito os resultados desejados. Então por que não organizar a comunicação utilizando dos recursos do marketing.

As questões pontuais nos levam a entender que em nosso universo religioso, buscamos autenticidade e visibilidade, quando nos apresentamos e ficamos expostos, como na internet, por exemplo. Ela nos dá uma dimensão que, ao reler a mensagem do papa Bento XVI, por ocasião do Dia Mundial das Comunicações Sociais em 2012, elevamos nossos desejos que a Igreja caminha para objetivos concretos em se tratando de utilizar os meios comunicacionais, cujo tema é “Silêncio e Palavra: caminho de evangelização”, mensagem que nesta edição traduzimos com a devida atenção pela ocasião do Dia. Nas palavras de Bento XVI, ele nos ensina que “Educar-se em comunicação quer dizer aprender a escutar, a contemplar, para além de falar; e isto é particularmente importante para os agentes da evangelização: silencio e palavra são ambos elementos essenciais e integrantes da ação comunicativa da Igreja para um renovado anúncio de Jesus Cristo no mundo contemporâneo” (Mensagem do Papa Bento XVI, por ocasião do Dia Mundial das Comunicações Sociais, 20.05.2012). São palavras que edificam o nosso trabalho como comunicadores e profissionais do segmento católico, bem como elevamos nossas intenções para uma evangelização mais próxima de todas as pessoas. Desse modo, esse método que educa, segundo Bento XVI, por meio da palavra e o silêncio, leva-nos a perceber que os meios de comunicação estão prontos para nos oferecer momentos de encontro com o outro, e a mensagem de Jesus Cristo seja difundida com ardor missionário. E o marketing não é capaz de suprimir esse ardor missionário, mas traz conceitos que o potencializa e organiza suas ações.

Então, quero ainda dentro desse movimento de chamar a atenção sobre a comunicação social, lembrar que sempre é um bom momento para que as paróquias e suas comunidades busquem sintonizar suas ações em uma só voz e de forma organizada, onde podemos falar da Boa Nova e, acima de tudo, mostrar que a Igreja Católica está promovendo mais ações que dignificam o trabalho pastoral e a pessoa humana. Nesse sentido, quero lembrar que nossas ações em comunicação devem ser transmitidas de forma que cultive um sentido único, onde todos os envolvidos estejam prontos e dispostos a difundir a mensagem de Jesus. A Pascom, nesse momento, é a pastoral que está em sintonia com o trabalho evangelizador, bem como o líder da comunidade de fiéis, imbuídos pela força do Espírito de comunidade que nos une. E com o agente que lidera, a Pascom deve buscar ações planejadas e estruturadas em conceitos do marketing.

Assim, caro leitor, o nosso trabalho atinge proporções significativas em nome da nossa Igreja que busca debater as questões que o papa Bento XVI nos advertiu naquele documento, além de integrar nossa missão em nossas comunidades. Planejá-lo para que sejam ações eficazes que atinjam seus objetivos é obrigação de todos os comunicadores. Vamos unir nossas vozes em prol da evangelização utilizando os meios de comunicação social e as técnicas do marketing que, efetivamente, trabalhem de forma integrada.

Faça um comentário